sábado, 9 de setembro de 2017

A minha, a sua e a nossa (?) amizade

Nenhum relacionamento pode ser mantido se não houver reciprocidade, e hoje não estou falando de amor, mas sim de amizade.

Costumo dizer que eu não me afasto de ninguém, as pessoas me afastam. Se me sinto desvalorizada e percebo indiferença, como posso continuar mantendo o laço se só parte do meu lado?

Amizades foram desfeitas, outras tentam sobreviver,  algumas nasceram, prometeram muito, mas seguem perdendo forças.

Em todos os casos sigo de consciência tranquila, porém chateada. Sempre ofereço o meu melhor, não costumo falar da boca para fora, ouvi tanto discurso bonito e nos meus piores momentos me encontrei totalmente sozinha.

Isolada, se não te procuro, se te cortei, tudo tem um motivo e dessa vez não sou eu, é você. Eu sempre estive aqui, se falo algo, cumpro. Sem falsas promessas.

Meu carinho, minha doação, minha amizade é para valer. Não estou só nos momentos bons e de calmaria.

Reconheço e valorizo quem eu gosto, quero realmente levar junto comigo e não deixar pelo caminho.

Tantos acontecimentos, sentimentos, confusão, pressão aqui dentro, não consegui me expressar como gostaria, joguei um punhado de palavras somente para aliviar um pouco.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

10 músicas que estou viciada no momento


Sou movida a música. Artista, ritmo e gênero variam de acordo com o momento, humor e ocasião, mas costumo preferir aquelas que quando tocam é praticamente impossível ficar parada. Para mim essas são as melhores músicas.

Listei as dez mais ouvidas do momento, uso principalmente para correr, entretanto a vontade maior é a de ficar dançando loucamente toda vez!



Observação: não consegui adicionar os vídeos originais das músicas

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Compulsão alimentar


Sempre quando comento com alguém sobre sofrer com compulsão alimentar, ninguém leva a sério e muito menos acredita. Talvez seja por ser considerada muito magra, mas não tenho e nunca tive anorexia ou bulimia.

Esporadicamente consigo manter certo controle sobre a minha alimentação, mas me sinto vulnerável a ter a qualquer instante, episódios compulsivos.

Desconto todos os sentimentos negativos nas comidas.

Como muito rápido, em grandes quantidades e só consigo parar quando os alimentos acabam ou quando começo a passar mal.

Vira um ciclo difícil de sair, acabo engordando e me sentindo pior ainda. E continuo a comer descontroladamente.

No momento tenho ela sob controle e espero continuar assim. O mais complicado é esse meu combo: depressão, ansiedade e compulsão alimentar.

Me sinto uma bomba prestes a explodir a qualquer momento... Estou bem, mas não sei até quando.

Related Posts with Thumbnails